Manifesto das CDLs locais para a Amrec

porInoova Comunicação

Manifesto das CDLs locais para a Amrec

À
AMREC – Associação dos Municípios da Região Carbonífera

A/C – Sr. Ademir Magagnin, presidente.

Prezado Sr. Presente,

As Câmaras de Dirigentes Lojistas – CDLs da Região Carbonífera, conjuntamente, tomam a liberdade de dirigir-se à V.Sas., expondo e pedindo o que segue:

1. Desde o mês de março de 2020 o Brasil vem convivendo com o novo CORONA VIRUS, exigindo de todos (Governos, empresários e população), o mútuo auxílio no combate à sua propagação e na prevenção.

2. Medidas duras e amargas foram adotadas desde então, com severos impactos econômico-financeiros, que culminou com o fechamento de milhares de postos de trabalhos, custando, ainda, o encerramento das atividades de muitas empresas. E, das empresas que estão conseguindo sobreviver, em sua maioria, isto se deve ao socorro financeiro que tiveram de tomar. Ou seja, as empresas sobreviventes estão, agora, endividadas.

3. Nas últimas semanas, em Santa Catarina, estamos acompanhando o crescimento do número de pessoas infectadas pelo COVID-19, e, consequentemente, da elevação dos índices de ocupação dos leitos de UTIs nos hospitais, chegando próximo ao limite. Certamente que este crescimento se deve, também, ao aumento do número de testes que têm sido aplicados à população. Paralelo ao crescimento da testagem, não se percebe a criação e/ou a habilitação de novos leitos de UTIs nos hospitais.

4. As CDLs compartilham da preocupação dos governantes pelo combate ao COVID-19, e justamente por esta razão têm empreendido todos os esforços na orientação da categoria, seus associados ou não, para que as medidas preventivas e restritivas sejam rigorosamente cumpridas. Comerciantes, prestadores de serviço, donos de bares e restaurantes, todos estão cientes das medidas que devem observar neste momento.

5. Dito isto, Sr. Presidente, e diante de decisões adotadas por alguns prefeitos de cidades Catarinenses, que determinaram novo fechamento total das atividades econômicas, as CDLs da Região Carbonífera, vêm manifestar sua profunda preocupação com as catastróficas consequências à essas empresas sobreviventes, e agora endividadas, que sofreriam com o lockdown.

6. Como dito, a categoria está ciente de suas obrigações, e as vêm cumprindo, com rigor. Entendemos que não se podem tratar igualmente a todos a partir de exceções. Ou seja, as CDLs apoiam o rigor nas fiscalizações e punição àqueles que descumprirem as medidas de prevenção exigidas. É necessário preservar em atividade aqueles que auxiliam no combate ao COVID-19 e conscientizar aqueles que eventualmente não cumprem as regras, inclusive com aplicação de punições e embargos dos estabelecimentos.

7. Incrementando medidas de fiscalização, certamente os poucos que eventualmente não estejam conscientes da necessária observação das regras, certamente se convencerão de tal necessidade.

8. Da mesma forma, a população deve estar consciente, pois, não raras vezes, vê-se pessoas descumprindo regras de restrições. A fiscalização deve, também à estes, agir com rigor.

9. E, finalmente, paralelo às ações de fiscalização, é necessário o movimento político forte para que a Região Sul de Santa Catarina seja contemplada, pelos Governos Federal e Estadual, com novos leitos de UTIs nos hospitais da região. Neste momento não deve ser considerado este ou aquele partido político, este ou aquele governante. A união precisa ser de todos, indistintamente, visando a saúde da população e a preservação das empresas e empregos.

10. Sendo assim, Sr. Presidente, as CDLs da Região Carbonífera, vêm solicitar que (a) não haja a adoção do lockdown; (b) que sejam intensificadas medidas de fiscalização, (c) que sejam buscadas implantações e habilitações de novos leitos de UTIs em hospitais da região.

11. Cópia da presente manifestação está enviada à todos os prefeitos da AMREC.

Sendo o que tínhamos para o momento, mantemo-nos à disposição.

Atenciosamente.

Sobre o Autor

Inoova Comunicação administrator